Dinâmicas para ocasiões diversas

PERGUNTAS E RESPOSTAS
Objetivos
Integração, interação, descontração, vitalizador, aquecimento.
Participantes
Até 20
Recursos
Cartões ou filipetas (respostas), impresso de apoio ao Facilitador (perguntas)
Tempo
15 min
Instruções
  • Os participantes sentam em círculo. 
  • A cada um é entregue, aleatoriamente, um pequeno cartão (ou filipeta) com respostas iguais ou semelhantes aos exemplos abaixo. 
  • O Facilitador formula perguntas, uma a uma, sendo que a resposta está contida no cartão do participante. 
  • Não há lógica entre perguntas e respostas o que dá o tom de descontração à dinâmica. 
Lista de perguntas (SUGESTÕES)
01. Você é feliz?
02. Você já fugiu de casa?
03. De quem você tem mais medo?
04. Você tem namorado(a)?
05. Você tem amigos?
06. Você se sente amado?
07. Você tem defeitos?
08. Você chora?
09. Você é chato com os outros?
Lista de Respostas (SUGESTÕES)
01. Na escuridão
02. No galinheiro
03. No carro
04. Na igreja
05. Na escola
06. À noite
07. Às vezes
08. Durante a semana
09. No final de semana
CRACHÁ CRIATIVO
Objetivos
Apresentação, integração, criatividade, expectativas, descontração, aquecimento, percepção de si/do outro, identificação, sensibilização, vitalizador, relacionamento interpessoal
Participantes
Até 15
Recursos
Cartolina, canetas coloridas, lápis, cola, tesoura, revistas, jornais, sulfite, fita adesiva.
Tempo
40 min
Instruções
  • Utilizando diversos materiais cada participante constrói o crachá mais bonito que puder fazer, naquele momento. 
  • Deixar espaço em branco para colocação do nome porém não escrevê-lo. 
  • Após o término, o Facilitador recolhe os crachás e os distribui aleatoriamente. Neste momento os participantes escrevem os nomes nos crachás que receberam. 
  • Cada participante tenta descobrir quem fez o crachá e o porque acredita ser aquela pessoa. 
  • Quem executou se apresenta e tenta, então, descobrir quem fez o seu crachá. Assim sucessivamente até o término. 
VARIAÇÃO: o Facilitador pode incluir o levantamento das expectativas do grupo (o tempo de duração do exercício aumentará).
A Linha da Vida ….. 
Esta é a linha da sua vida. 
-I—–I—–I—–I—–I—–I—–I—-I—–I—–!—–I—–I—–I—–I—-I—–I—–I— 
1900      20        940          60        80        2000        20         2040      60 
Para completá-la você deve seguir os passos abaixo: 
  • Coloque a letra H no ano atual; 
  • Coloque a letra N no ano que você nasceu; 
  • Coloque a letra M no ano que você acha que vai morrer (pode roubar a vontade); 
Agora pare, pense e responda algumas perguntas: 
  • O segmento NH está maior ou menor que o HM? 
  • O ponto H se desloca para a direita muito rapidamente? 
  • Vai dar tempo de fazer todas aquelas coisas gostosas que você um dia planejou? 
· Talvez seja hora de diminuir a velocidade 
OUTRA
Leve alguns saquinhos contendo balas, por exemplo. Peça a todos que formem um círculo bem aberto e espalhe os saquinhos cheios no centro do grupo. Avise a todos que ao seu comando deverão todos procurar pegar a maior quantidade de saquinhos possível e voltar para seu lugar. Com certeza será um corre-corre. Depois que todos voltarem para seus lugares faça a seguinte aplicação: uns ficaram com muitos saquinhos outros com menos e talvez alguns sem nenhum. O que acontece é que na hora todos queriam pegar a maior quantidade sem se preocupar com o outro. No dia a dia, por vezes sem perceber, agimos da mesma forma em algumas situações. Queremos defender o nosso sem nos preocuparmos com quem está ao redor. Feita a aplicação quem está com muitos saquinhos deve dividir com quem tem menos ou não tem nenhum.
Troca de um segredo
OBJETIVO: Criar maior habilidade de empatia entre os participantes grupais. 
TAMANHO DO GRUPO: 25 a 30 participantes. 
TEMPO REQUERIDO: 45 minutos aproximadamente. 
MATERIAL USADO: Lápis e papeletas.
AMBIENTE FÍSICO: Uma sala com carteiras (mesas). 
PROCESSO: 
  • O animador distribui uma papeleta para cada membro participante; 
  • Os participantes deverão descrever, na papeleta, uma dificuldade que sentem no relacionamento, e que não gostariam de expor oralmente; 
  • O animador recomenda que todos despistem a letra, para não revelar o autor; 
  • O animador solicita que todos dobrem a papeleta de forma idêntica, e uma vez recolhida, misturará e distribuirá uma papeleta dobrada para cada participante; 
  • A seguir, o animador recomenda que cada qual assuma o problema que estiver na papeleta, como se fosse ele mesmo o autor, esforçando-se por compreendê-lo; 
  • Cada qual, por sua vez, lerá em voz alta o problema que estiver na papeleta, usando a 1ª pessoa "eu" e fazendo as adaptações necessárias, dando a solução; 
  • Ao explicar o problema aos outros, cada qual deverá procurar pesonalizá-lo; 
  • Não será permitido debate, nem perguntas sobre o assunto, durante a exposição; 
  • No final, o animador poderá liderar o debate sobre as reações, formulando as seguintes perguntas: 
    • como você se sentiu ao descrever o seu problema ? 
    • Como se sentiu ao explicar o problema de um outro ? 
    • Como se sentiu quando o seu problema foi relatado por um outro ? 
    • No seu entender, o outro compreendeu o seu problema ? 
    • Conseguiu pôr-se na sua situação ? 
    • Você sentiu que compreendeu o problema da outra pessoa ? 
    • Como você se sentiu em relação aos outros membros do grupo ? 
    • Mudaram seus sentimentos em relação aos outros, como conseqüência deste exercício ? 
Integração de Pessoal
OBJETIVOS: 
  • Começar a integração do grupo, partindo de algo fundamental: conhecer-se mutuamente, iniciando a relação interpessoal; 
  • Romper o gelo desde o princípio, a fim de desfazer tensões; 
  • Demonstrar que nenhum membro do grupo pode passar despercebido; 
  • Dar uma primeira idéia dos valores pessoais dos membros participantes. 
TAMANHO DO GRUPO: 25 a 30 membros. 
TEMPO EXIGIDO: 45 minutos, aproximadamente. 
AMBIENTE FÍSICO: Uma sala bastante ampla com cadeiras para acomodar todos os integrantes. 
PROCESSO: 
O animador inicia, explicando que o exercício que será realizado exige que todos se sintam à vontade. Isto obriga que todos saibam quem é quem. Não se chegará a um conhecimento grupal, a não ser conhecendo os indivíduos. Isto é possível conseguir de várias maneiras. O que se pretende com este é a apresentação a dois, para isso: 
  • o animador solicita que os membros participantes formem subgrupos a dois, preferencialmente com parceiros desconhecidos; 
  • durante uns 6 a 7 minutos, os subgrupos formados se entrevistam mutuamente; 
  • voltando ao grupo único, cada membro fará a apresentação do colega entrevistado; 
  • nenhum poderá fazer sua própria apresentação; 
  • cada membro participante deve permanecer atento e verificar se sua apresentação, feita pelo colega, é correta e corresponde aos dados fornecidos; 
  • a seguir, o animador pede aos participantes que se manifestem sobre a apresentação feita pelo colega e sobre o valor do exercício. 
Solução criativa de um problema
OBJETIVOS: 
  • Observar atitudes grupais na solução de um problema; 
  • Explorar influências interpessoais na solução de um problema. 
TAMANHO DO GRUPO: 25 a 30 pessoas, sendo possível a formação de subgrupos de 5, funcionando simultaneamente. 
TEMPO REQUERIDO: 30 minutos, aproximadamente. 
MATERIAL EXIGIDO: Papel e lápis ou caneta. 
AMBIENTE FÍSICO: 
Uma sala suficientemente ampla para acomodar todos os subgrupos ao mesmo tempo. 
PROCESSO: 
  • O animador esclarece que se trata da solução criadora de um problema, para o qual deve ser procurado um consenso. Todos deverão prestar atenção acerca do processo da discussão, pois no final será analisado pelo grupo. 
  • A seguir, o animador expõe o problema a ser solucionado pelos subgrupos, durante 10 minutos: 
"Anos atrás, um mercador londrino teve o azar de ficar devendo uma grande soma de dinheiro a outra pessoa, que lhe fez um empréstimo. Este encantou-se pela jovem e linda filha do mercador. Propôs-lhe então um acordo. Disse que cancelaria a dívida do mercador, se pudesse desposar-lhe a filha. Tanto o mercador quanto a sua filha ficaram apavorados. Aí a pessoa que havia emprestado o dinheiro propôs que se deixasse a solução do caso à Providência. Para tal, sugeriu colocarem uma pedra preta e outra branca dentro de uma bolsa de dinheiro vazia, e a moça deveria então retirar uma das pedras. Se retirasse a pedra preta tornar-se-ia sua esposa e a dívida de seu pai seria cancelada. Se retirasse a pedra branca, permaneceria com o pai e mesmo assim a dívida seria perdoada. Mas, recusando-se a retirar a pedra, o pai seria atirado na prisão e ela morreria de fome. O mercador concordou, embora constrangido. Eles estavam num caminho cheio de pedras, no jardim do mercador. O credor abaixou-se para apanhar as duas pedras e ao faze-la apanhou duas pretas e colocou-as na bolsa do dinheiro, que foi visto pela moça. Pediu então à moça que retirasse a pedra que indicaria não só a sua sorte, como também a de seu "pai". 
Cabe então ao grupo encontrar a solução que a moça encontrou para poder continuar em companhia do pai e ter a dívida cancelada. 
Solução: "A moça do conto meteu a mão na bolsa e retirou uma pedra. Porém, antes de olhá-lo, desajeitada, deixou-a cair no caminho onde ele logo se perdeu no meio dos outros".
  • Após 10 minutos, o animador pede aos subgrupos a solução encontrada e solicita que expliquem o processo usado para chegar à conclusão. 
  • Enquanto todos não tiverem encontrado a solução, pode-se continuar o trabalho, ficando os subgrupos, que terminaram como observadores, sem interferir nos debates. 
  • A seguir, forma-se o plenário para comentários acerca do comportamento dos membros no grupo de discussão, focalizando as atitudes de: 
    • membros que pouco participaram; 
    • pessoas que dificilmente aceitaram as idéias dos outros; 
    • elementos que ficaram nervosos, inseguros durante o debate; 
    • demonstração de inibição, etc. 
Técnica de saída
OBJETIVOS: 
  • Libertar de inibições pessoais contraídas.
  • Tirar o bloqueio das pessoas que se sentem imobilizadas, incapazes de mexer-se ou de fazer o que gostariam de fazer. 
TAMANHO DO GRUPO: 20 a 25 pessoas, aproximadamente. 
TEMPO EXIGIDO: Depende da habilidade de cada pessoa. 
AMBIENTE FÍSICO: Uma sala suficientemente ampla para acomodar todos os participantes, em forma circular. 
PROCESSO: 
  • O animador convida umas 10 a 12 pessoas para formar um círculo apertado, com os braços entrelaçados. 
  • A seguir convida um participante, possivelmente uma pessoa contraída, para que fique de pé dentro do círculo. 
  • Uma vez bem formado o círculo, a pessoa que está dentro recebe ordens para procurar sair do jeito que puder, por cima, por baixo ou arrebentando a corrente de braços. Os componentes do círculo tentam ao máximo contê-la e não deixá-la romper o cerco. 
  • Após uma tentativa de uns 4 a 5 minutos, pode-se prosseguir o exercício, trocando a pessoa que se encontra no meio do círculo.
  • Finalmente, uma vez terminada esta vivência, prosseguem-se os comentários. 
  • Esta técnica pode estender-se a uma situação em que a pessoa se sinta constrangida por outro indivíduo, como quando alguém se sente coagido por alguém. Nesse caso o que exerce coação fica de pé, atrás da pessoa que se presume esteja sendo coagida e coloca os braços em volta dela, apertando-lhe fortemente os braços. A pessoa coagida procura então libertar-se. 
PRESENTE
(possibilita entrosamento entre o grupo e que cada um saiba como os outros o vêem)
Inicie chamando alguém do grupo e entregando o presente a ele. Em seguida…
1) Desculpe, este presente não é seu você vai entregá-lo à pessoa mais bonita do grupo.
2) Para muitos a beleza é fundamental, mas para você, é apenas uma quantidade. Que pena, mesmo com toda a sua beleza este também não é seu você vai entregá-lo a pessoa mais dinâmica.
3) Ser dinâmico é estar sempre presente, sempre ajudando, sem se cansar. Mas este presente também não é seu, você vai entregá-lo à pessoa mais realista.
4) Como você é realista! Mas na realidade este presente não é seu, você vai entregá-lo a pessoa mais inteligente.
5) Ser inteligente é um privilégio, mas a capacidade de entender o mundo é dos sensíveis e inteligentes. E você também o é, e por isso você já deve ter percebido que este presente não é seu. Você deve entregá-lo à pessoa mais carinhosa.
6) Carinho também é uma forma de amor, você está de parabéns. Mas carinhosamente te digo que este presente não é seu, você vai entregar para pessoa mais meiga.
7) A meiguice é um dom que poucas pessoas possuem, se você é uma delas cultive-a bastante e serás recompensada. Mas este presente não é seu, você vai entregar para a pessoa mais otimista.
8) Ser otimista é estar sempre disposto a começar de novo. Quanta força de vontade! E se no meio de tanta gente, você ainda espera que o presente seja justamente seu, é realmente muito otimismo de sua parte. Você deve entregá-lo à pessoa mais tímida do grupo.
9) Ser tímida não é um defeito, sempre encontramos muitas coisas boas numa pessoa como você, só descobrir! Deixe sua timidez de lado e entregue este presente para a pessoa mais trabalhadora.
10) Diz um certo ditado que Deus ma a quem trabalha. Você deve estar radiante desse amor. Espalhe este amor! Deve ter dado muito trabalho para você esperar este presente chegar até as suas mãos. Mas este presente não é seu. Entregue para a pessoa mais calma.
11) Se você é uma pessoa calma mantenha este dom, porém não se deixe abater pela passividade, deixe sempre clara a sua opinião. E este presente também não é seu, passe à pessoa mais criativa.
12) Ser criativo é levar a vida brincando, inventando, imaginando coisas etc. para você as horas são curtas e os dias pequenos. E antes que você crie uma desculpa para ficar com o presente, passe-o para a pessoa mais sincera.
13) Ser sincero é ser fiel à você e aos outros; uma pessoa que se pode confiar. Tomara que haja mais pessoa como você. Não fique com o presente porque sinceramente ele não é seu, você vai entregá-lo à pessoa mais simpática.
14) Nós admiramos você pela sua simpatia e seu charme. Dê uma voltinha. Não pense em ficar com o presente, mande para a pessoa mais querida.
15) Cultive este dom todos os dias de sua vida e serás sempre querido. Mesmo assim este presente não é seu, você vai entregá-lo à pessoa mais sonhadora.
16) Que bom sonhar! Os sonhos nos mantém vivos. Mas isso foi um sonho o presente não é seu, passe para a pessoa mais séria.
17) A seriedade não impediu que você tomasse parte de todos esses momentos. Mas falando sério…o presente não é seu, passe a pessoa mais gozadora.
18) Você fez de nós várias vezes alvos de suas gozações. Não tem problema , você mereceu o presente. Mas que gozado… ele não é seu, passe para a pessoa mais calada.
19) Você falou pouco durante este tempo, quase não ouvimos sua voz. Dá pra falar um pouco hoje e passar este presente para a pessoa mais passeadeira.
20) Você passeou muito e notamos que valeu a pena, você está mais feliz. Mas não fique tão feliz, pois o presente não é seu, passe para a pessoa mais inquieta.
21) Você não pára, parece movida à eletricidade, temos a impressão que você vive ligada todos os momentos. Pare um pouco e se ligue, este presente não é seu, passe para a pessoa mais brigona
22) Você brigou, chorou mas não adiantou, o presente não é seu, passe para a pessoa mais mandona
23) Você mandou mas nem sempre foi obedecida. Mande agora este presente para a pessoa mais amiga.
24) Você foi eleita a pessoa mais amiga do grupo. Demonstre sua amizade dividindo o presente com todos os seus amigos confirmando que você sabe partilhar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: