Gn 2.2-3a e Êx 20.8-10 – Santifique o dia do descanso (3º Mandamento)

No sétimo dia Deus acabou de fazer todas as coisas e descansou de todo o trabalho que havia feito. Então abençoou o sétimo dia e o separou como um dia sagrado. (Gn 2.2-3a)
Guarde o sábado, que é um dia santo. Faça todo o seu trabalho durante seis dias da semana; mas o sétimo dia da semana é o dia de descanso, dedicado a mim, o Senhor, seu Deus. (Êx 20.8-10)
Meus queridos irmãos e irmãs no Salvador Jesus Cristo. Santifiquem o dia do descanso! Isso é o que aprendemos no terceiro mandamento. Santificar significa fazer com que algo se torne santo. Mas como podemos tornar um dia santo? E por quê devemos fazer isso?
Quando Deus criou todas as coisas, ele fez tudo em seis dias. Depois, no sétimo, descansou de sua obra e abençoou este dia como sendo um dia sagrado, especial. Como todas as coisas que Deus fez, o dia também foi feito santo e é santo por si mesmo. Mas este dia especial, santo, foi feito para o ser humano. Em hebraico, a língua em que foi escrito o Antigo Testamento, este dia chama-se sabath. Daí nós temos sábado. Sabath significa, literalmente, descanso ou dia de descansar. Foi assim lá no início. O próprio Deus desancou mostrando que toda a sua criação também precisa de um período de repouso em que irá recobrar as energias para mais um período de trabalho. Portanto, o primeiro grande objetivo do dia de descanso é, exatamente, o de proporcionar uma oportunidade de descanso.
Os judeus do AT tomaram a ordem de Deus e procuraram cumpri-la com todo o rigor possível. Aos poucos foram acrescentando todas as coisas que eram proibidas de serem feitas neste dia que, em pouco tempo já não era mais possível obedecer ao mandamento de Deus. Diziam, por exemplo, que no dia do descanso era proibido fazer qualquer tipo de serviço, nem que fosse carregar um lenço para limpar o nariz. Mas também criavam meios de burlar tais ordenanças, já que se o lenço estivesse costurado à roupa, então poderia ser carregado, uma vez que era parte do vestuário. Enfim, cuidavam ao extremo para que o sábado fosse guardado, ao menos exteriormente, na aparência.
Em segundo lugar, o dia do descanso foi criado para que nós pudéssemos encontrar tempo para estar com Deus, uma vez que todos os afazeres diários nos impedem de prestarmos culto corporativo a Deus. Em outras palavras, o dia do descanso foi criado por Deus para que o seu povo possa se reunir, ouvir a mensagem que Deus tem para nós e, em resposta, dar-lhe louvor com cânticos, orações e ações de graças.
Para o povo judeu do AT, Deus estabeleceu um dia fixo, no qual deveriam descansar. Este dia era o sábado. Porém, Cristo, o nosso Salvador, é também Senhor do sábado e, por isso, nos desobrigou de observar rigorosamente este dia, no sentido de que apenas no sábado é que podemos descansar e prestar culto. Desde o início da Igreja Cristã, o povo de Cristo tem guardado o domingo, entre outros motivos, pelo fato de que foi num domingo que Cristo ressuscitou e, assim, semana após semana, nós podemos celebrar a ressurreição de Cristo. Isso não significa que o culto precisa ser apenas neste dia. Cristo nos deu a liberdade de escolhermos o melhor dia para estarmos em sua casa.
Por outro lado, de maneira alguma Cristo nos deu a liberdade para escolhermos se queremos ou não ir ao culto. Essa aparente liberdade de escolha vem exclusivamente da ação do diabo em nossas vidas e, sempre que optamos por não prestarmos culto a Deus, estamos obedecendo ao nosso inimigo maligno.
Pastor – alguém pode estar querendo perguntar – isso não é ser muito radical? Por que eu não posso participar do culto só de vez em quando ou quando tenho vontade? A esta pergunta, podemos responder com outras perguntas: Por que não posso comer só de vez em quando? Por que não posso tomar banho só de vez em quando?
A vontade de Deus é que nós santifiquemos o nosso descanso, tanto o dia da semana em que deixamos de trabalhar, quanto as horas de folga que temos após o nosso trabalho diário. A grande questão aqui é o santificar. Santificar é fazer com que algo seja santo. Em outras palavras, santificar ou tornar algo santo é falar, agir e viver de maneira santa. E isso nós só conseguimos com um manejo, estudo e exercício constante da Palavra de Deus. Assim, da mesma forma como precisamos comer diariamente para manter nosso corpo sadio, também precisamos diariamente nos alimentar da Palavra de Deus para que nosso dia seja santificado e nossa fé se fortaleça. Da mesma forma como nós precisamos diariamente banhar nossos corpos para mantê-los limpos, também precisamos diariamente nos banhar no perdão que Deus nos oferece em sua palavra para que nosso dia seja santificado e possamos prestar verdadeiro culto a Deus.
Deus quer que nós façamos isso diariamente. Porém, nem sempre conseguimos tirar um tempo para isso, Deus nos convida graciosamente a destacarmos em um dia da semana algum tempo especialmente a ele. Este é o tempo do culto corporativo, quando todo o povo de Deus é chamado a reunir-se na Igreja para, juntos, pedirem o perdão de Deus; darem graças por todas as bênçãos recebidas na semana que passou, com ofertas e louvor; pedir a proteção de Deus para a semana que entra; serem alimentados com a mensagem do Evangelho e orientados por Deus sobre como deve ser santificado o seu viver; receberem o fortalecimento de sua fé na certeza do perdão e da vida eterna no sacramento da Santa Ceia; e muito mais.
É do nosso alimentar-se da Palavra de Deus que santificamos nosso viver. Ela é a relíquia das relíquias, o amuleto dos amuletos, a única, na verdade, que nós cristãos reconhecemos e temos. Ainda que nós enchêssemos nossos bolsos, carros e casas com santinhos, rosários, figas, ferraduras, água benta e tantas outras coisas consagradas, isso não valeria nada, pois é tudo coisa morta, incapaz de santificar qualquer coisa. Já a Palavra de Deus é o tesouro que a tudo santifica. E mesmo os santos foram santificados por esta Palavra. Sempre que alguém trata, prega, ouve, lê ou medita na Palavra de Deus está santificando a si mesmo, ao seu dia e à sua vida, não por estar fazendo isso, mas porque Deus age através da sua Palavra. 
Mas pastor – alguém está pensando – eu trabalho a semana toda. Quando chega o final de semana, eu quero descansar. Isso não é também santificar o dia do descanso, tal como Deus fez quando terminou a criação? Mais uma vez é preciso lembrar que o poder deste mandamento não está no descansar, mas no santificar, ou seja, que no meu momento de descanso eu realize uma atividade santa e isso, como vimos, acontece apenas pelo trato, pregação, audição, leitura ou meditação da Palavra de Deus.
Deus nos dá, semanalmente, 168 horas. A legislação diz que nós podemos trabalhar, no máximo, 40 horas por semana. Precisamos dormir, ou seja, descansar, em torno de 8 horas por dia, ou seja, 56 horas. Assim, restam-nos 72 horas por semana para outras atividades, como convivência com a família, atividades domésticas, lazer e para santificar nosso viver. Com esse pequeno exercício matemático, podemos ver que, realmente, Deus nos dá tempo mais que suficiente para que possamos dedicar a Ele uma ou duas horas por semana para participarmos do culto corporativo. Vemos ainda que, quando apresentamos a desculpa de que não dá tempo, na verdade estamos apenas apresentando mais uma mentira inventada pelo diabo. Temos tempo sim.
Quando deixamos de dedicar tempo ao estar com Deus, ao ouvir e estudar sua Palavra, o que estamos realmente fazendo é desprezando o que Deus nos oferece. A Palavra de Deus é a coisa mais valiosa que temos e, sem ela, nem nosso dia de descanso nem nossa vida é santificada. Por isso é importante que nós saibamos que Deus insiste no cumprimento de sua vontade. É preciso também que saibamos que Deus castiga aqueles que não querem ouvir, nem aprender o que Ele tem a nos dizer e ensinar. Este alerta de Deus serve especialmente para aqueles que trocam o estar com Deus por outras coisas, sejam elas quais forem. Também serve para aqueles que participam do culto só por participar ou para que o pastor não fique pegando no pé. Santificar não é apenas estar no culto, ouvir ou ler um pedaço da Bíblia. Santificar é também aprender a vontade de Deus e praticar esta vontade no meu dia-a-dia.
Ah, pastor… eu continuo achando que um ou no máximo dois cultos por mês é mais que suficiente. A quem pensa assim, podemos lembrar as palavras de Lutero em seu Catecismo Maior: cumpre censurar da mesma forma os espírito convencidos que, ouvindo um sermão ou dois, estão fartos e entediados, como se conhecessem a coisa bem e já não necessitassem de mestre. Trata-se precisamente daquele pecado que até agora se computou entre os pecados mortais e que se chama acédia, ou seja, inércia, fastio ou preguiça, peste maligna, perniciosa, com que o diabo enfeitiça e ludibria o coração de muitos, a fim de tirar de nós a Palavra de Deus. Ainda que conhecesses a palavra perfeitamente e fosses mestre em tudo, ainda assim estás diariamente debaixo do império do diabo, que nem de dia nem de noite deixa de te atacar para levar seu coração à descrença e colocando em ti maus pensamentos contra a vontade de Deus. Isso mostra porque é necessário que tenhas a Palavra de Deus continuamente no coração, nos lábios e nos ouvidos.
Meus caros amigos, irmãos em Cristo Jesus. Quantas vezes nós – e quando digo nós eu me incluo também – nós nos rebelamos contra a vontade de Deus e deixamos de participar dos cultos. Quantas vezes nós buscamos desculpas para apresentar ao pastor, como se fosse a ele que precisamos prestar contas. Quantas vezes nós simplesmente nos negamos a ouvir a Palavra de Deus e a tratamos com desprezo. Quantas vezes nós não queremos tirar uma hora por semana, que seja, para estar junto a Deus. E o que mais impressiona é que, apesar de toda essa nossa revolta contra Deus, ainda queremos todos ir para o céu, onde ficaremos eternamente junto a Ele. Ora, se não queremos passar alguns minutos por dia ou por semana na companhia de Deus, o que queremos fazer no céu? Há alguma coisa de errado aí. E o que está errado é que, de tanto ficarmos longe da Palavra de Deus acabamos dando cada vez mais ouvidos à Palavra do Diabo.
Felizmente nós temos Cristo. Cristo morreu também por este nosso pecado de rebelião contra Deus e sua Palavra. Vamos, humildemente confessar esse nosso pecado, junto com todos os demais e pedir que Deus nos perdoe por amor a Cristo. Vamos também pedir que ele nos ajude a aproveitar todas as oportunidades que temos para santificar o nosso descanso pelo ler, ouvir, meditar e praticar da sua Palavra. E vamos lutar, com o auxílio de Deus, para, ao menos, estar em todos os cultos, ainda que, por causa da ação do diabo, não tenhamos vontade de ir; ainda que esteja muito frio, ou muito quente, ou que tenha chegado uma visita – eles podem vir juntos. Afinal, nada é mais importante que este meu encontro com Deus. É neste encontro que meu descanso é santificado. É nesse encontro que minha fé é fortalecida e, assim, cada vez mais eu tenho vontade de estar com Deus no céu, começando nesta vida. Amém.
(Rev. Éder Carlos – Campo Largo/PR)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: