1 Rs 19.11-12 – Eu sou o Senhor, teu Deus (1º Mandamento)

Então o senhor passou por ali e mandou um vento muito forte, que rachou os morros e quebrou as rochas em pedaços. Mas o Senhor não estava no vento. Quando o vento parou de soprar, veio um terremoto; porém o Senhor não estava no terremoto. Depois do terremoto veio um fogo, mas o Senhor não estava no fogo. E depois do fogo veio uma voz calma e suave. (1 Rs 19.11-12)
Queridos irmãos e irmãs no Salvador Jesus.
Hoje queremos iniciar nossa caminhada ao longo dos Dez Mandamentos. Queremos relembrar ou aprender o significado de cada um deles e como eles se aplicam ao nosso viver.
No primeiro mandamento, Deus diz: Eu sou o Senhor, o teu Deus. Não terás outros deuses diante de mim. E do Catecismo Menor de Lutero decoramos que isso significa que Devemos temer e amar a Deus e confiar nele acima de todas as coisas. Talvez aqui devêssemos parar e perguntar: E daí? Como isso se aplica a mim e à minha vida?
Para que possamos melhor compreender, vamos dividir este mandamento em duas partes. Hoje vamos avaliar e compreender as palavras Eu sou o Senhor, o teu Deus e no próximo culto vamos nos aprofundar em compreender as palavras não terás outros deuses diante de mim.
Eu sou o Senhor, o teu Deus. Isso é maravilhoso. Deus inicia sua Lei com a informação de que Ele é o Senhor, o nosso Deus. E a pergunta aqui é: o que é um deus?
Todos os povos têm seus deuses. Quando, em 1500, os portugueses – cristãos – chegaram ao Brasil, viram que os habitantes de nossas terras adoravam Tupã, o sol, e Jaci, a Lua, entre outros deuses. Da mesma forma, quando os europeus chegaram a outros continentes do planeta terra, constataram que cada povo tinha uma série de deuses. Tais deuses podiam ser animais, montanhas ou fenômenos da natureza. Aliás, isso não era algo próprio de povos recém descobertos. Antes do cristianismo, toda a Europa era povoada por deuses, tanto que ainda hoje, em inglês, alemão, espanhol e outras línguas, os dias da semana homenageiam um determinado deus: Sunday = dia do sol; Viernes = dia de Vênus e por aí vai.
Estes deuses adorados pelos povos antigos e atuais, são entidades ou coisas nos quais eles colocam a sua confiança, a sua esperança por dias melhores, boas colheitas, a proteção contra os perigos. Em resumo, eles confiavam plenamente nestes deuses, certos de que eles iriam em seu socorro quando fosse necessário.
Com isso nós compreendemos que um deus é qualquer coisa em que nós confiamos para nossa proteção, boa sorte, ou cuidado. E aí poderíamos começar a relacionar a multidão de deuses em que muitos confiam. São patas de coelhos e ferraduras para dar sorte, imagens de santos, rosários, cruzes e escapulários para proteção, algumas plantas, fitas vermelhas e cabeças de vaca para tirar o mau olhado, entre outros.
Em nosso texto base, Elias nos fala sobre sua experiência com Deus. Elias estava triste com o povo de Israel que voltou as costas a Deus e pensava ter ficado sozinho. Deus então o convida a subir ao alto do monte e coloca algumas coisas impressionantes que muitos confundem com uma entidade divina: um vento violento, tão forte que rachou os montes e quebrou as rochas; um terremoto; um fogo muito grande. E Elias viu que Deus não estava em nada disso. Deus lhe mostrou todo o seu poderio, mas falou com ele numa voz calma e suave.
E no primeiro mandamento Deus começa nos dizendo Eu sou o Senhor, o teu Deus. E quem é este Deus que se apresenta a nós e que não está no vento, nem no terremoto, nem no fogo, mas está numa voz calma e suave?
Se tentarmos responde com algo que conhecemos e vemos, não vamos conseguir. Afinal, este Deus que se apresenta a nós na Bíblia não tem uma forma definida. Ele é Espírito é e assim que quer que nós o adoremos. Quando Ele deu ordem para a construção do templo de Jerusalém, ordenou que fosse construído um lugar chamado santo dos santos, cercado por um véu muito grosso e neste lugar Ele estaria. Conta a história que quando os romanos finalmente conseguiram dominar Jerusalém, o general que comandava o exército vencedor foi ver como era o Deus que os judeus cultuavam e ficou espantado ao ver que não havia nada por trás do véu do santuário.
O Deus que se apresenta a nós no início dos dez mandamentos não pode ser visto por olhos humanos. Aliás, os primeiros humanos, Adão e Eva, podiam conversar com Ele face a face, antes de cometerem o primeiro pecado. Mas depois que foram expulsos do Paraíso por causa do pecado, não puderam mais ver a face de Deus.
Este Deus que nos diz Eu sou o Senhor, o teu Deus, é o mesmo que criou todas as coisas – céus e terra, água, animais, plantas, todo o universo e também a nós, seres humanos, nos dando um corpo e uma alma. Ele é o mesmo que livrou Noé da destruição do dilúvio e mais tarde chamou Abraão para ser o pai de uma grande nação. É o mesmo que se apresenta a Moisés como sendo IWHW – ou seja, Eu sou e que no Apocalipse se identifica como sendo o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim. Enfim, este Deus que se apresenta a nós é aquele que domina sobre todos os deuses, que governa todas as coisas e a quem tudo e todos estão subordinados.
E como é bom saber que este Deus a quem cultuamos e servimos é o Senhor. Esta afirmação de Deus, Eu sou o Senhor, aparece 167 vezes na Bíblia. Em todas estas vezes, Deus reafirma a sua condição de ser aquele que deu liberdade, que saciou a fome, que venceu os inimigos, que combateu ao lado dos fracos, que criou todas as coisas.
Ao repetir tantas vezes estas palavras, Deus está nos dizendo o quanto Ele já fez e o quanto Ele ainda pode fazer por nós e conosco.
Ele nos convida amorosamente a ficarmos debaixo de sua proteção, pois Ele é o Senhor e, tal como já fez antes, criando e mantendo todas as coisas, lutando ao lado de seu povo, amparando e protegendo seu povo, quer continuar ao nosso lado, nos dando tudo o que precisamos, lutando ao nosso lado diariamente, nos amparando e nos protegendo em meio aos perigos e dificuldades.
Ao se apresentar a nós como sendo o Senhor, Deus nos diz que podemos confiar inteiramente, completamente e somente nele, pois Ele é aquele que está acima de todos os outros deuses, acima de todas as outras coisas. Afinal, Ele é o criador de tudo e, sendo Ele o Criador, é Ele quem tem poder sobre todas as coisas. Tudo mais está debaixo deste poder e não pode dar nada além do que Ele quer e pode nos dar.
Meus queridos irmãos e irmãs. Como é bom saber que o nosso Deus é o IHWH, o Senhor. Como é bom saber que Ele está acima de todas as coisas do universo e que nada existe sem Ele. Como é bom saber que nós temos um Deus que pode e quer nos dar todas as coisas que precisamos. Como e bom saber que nosso Deus pode e quer nos proteger e nos amparar em todo momento. Como é bom saber que aonde estivermos, o Senhor nosso Deus estará conosco. Assim nós podemos viver em segurança, pois Deus é o Senhor, o nosso Deus. Amém.
(Você sabe quem é o autor desta mensagem? Informe-nos, por favor.)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: